Caixinha surpresa

  
Já contei para vocês que esse ano estou participando do desafio literário do site Popsugar? É muito legal, tomara que eu consiga completar até dezembro 🙂 Bom, por causa do desafio eu comprei “Um presente da Tiffany” da Melissa Hill, o primeiro livro que eu vi ao entrar na livraria.

O livro conta as histórias de Ethan e Rachel, dois estranhos que vão passar o período do Natal em Nova York com seus respectivos namorados. O viúvo Ethan pretende pedir sua namorada, Vanessa, em casamento e para isso compra, com a ajuda da filha Daisy, um extravagante anel de noivado da Tiffany. Gary, o namorado de Rachel, na última hora compra para ela uma pulseira lá também, e ao sair da loja é atropelado por um táxi. Ethan e a filha o acodem e, na confusão, as sacolas são trocadas, o que gera uma grande dor de cabeça.

A ex-mulher de Ethan, Jane, vivia dizendo que amava Nova York e que a Tiffany era um lugar mágico, e por isso Daisy começa a achar que a troca das caixas foi o destino intervindo, levando o pai em direção a pessoa certa. Jane também disse ao marido antes de falecer que encontrasse uma mulher que fizesse para ele pão. E, surpresa, surpresa, não é que Rachel e sua sócia Teri tem um restaurante/buffet/padaria?

Eu normalmente não leio esse tipo de livro do estilo ChicLit, mas calhou de ser e achei gostoso de ler, bem fácil, apesar de achar a caracterização dos personagens um pouco superficial demais, especialmente de Gary. Mas curti as reviravoltas do final, achei fofo, bem romântico. Bem comédia romântica da sessão da tarde, no bom sentido.

A receita de hoje não poderia ser outra: pão. Eu já falei aqui no blog há um tempo atrás de uma receita de piadina que é ótima, mas essa aqui é de pão mesmo, daqueles de fatiar pro café da manhã e tudo. E estou querendo há tempos fazer pão em casa, porque esses do supermercado nem se comparam ao que saí quentinho do forno sem conservantes, né? E o cheirinho desse alecrim ainda perfuma a casa toda 🙂

  
Pão de Alecrim da Tiffany (receita adaptada do livro do Panelinha)

Ingredientes:

  • 2 ramos de alecrim
  • 1 xícara de chá de água morna
  • 2 xícaras de chá de farinha de trigo
  • 1 xícara de chá de farinha de trigo integral
  • 10 g de fermento seco para pão
  • 3 colheres sopa de azeite
  • manteiga para untar
  • sal a gosto

Modo de preparo:

  1. Desfolhe um dos ramos de alecrim e reserve.
  2. Numa panelinha, coloque a água e o ramo inteiro de alecrim. Leve ao fogo médio e, quando ferver, desligue. Retire o alecrim.
  3. Numa tigela grande, misture bem as farinhas e o fermento. Faça um buraco no centro, acrescente a água morna, o azeite e o sal. Trabalhe a massa do centro para fora, incorporando os ingredientes até formar uma bola.
  4. Sob uma superfície enfarinhada, sove a massa de pão por 10 minutos até ficar lisa e elástica. Faça uma bola com a massa.
  5. Unte o fundo de uma tigela grande com azeite. Coloque a massa e pincele-a com um pouco de azeite. Cubra com um pano de prato limpo e deixe crescer por 1 hora ou até dobrar de tamanho.
  6. Transfira a massa crescida para uma superfície enfarinhada e aplaine com os dedos. Salpique com as folhas de alecrim. Dobre a massa e sove-a até que as folhas estejam uniformemente distribuídas. Modele o pão em formato ovalado com cerca de 25 x 10 cm.
  7. Unte uma assadeira grande com óleo. Transfira a massa para a assadeira e faça cortes superficiais no sentido da largura do pão. Pincele com o azeite de oliva restante, cubra e deixe crescer por 30 minutos.
  8. Preaqueça o forno a 180°C (temperatura média).
  9. Pincele o pão com mais azeite e leve ao forno para assar por cerca de 35 minutos ou até que esteja dourado. Para verificar se está assado, bata na parte de baixo do pão (como se estivesse batendo numa porta) e observe se produz um som oco. Caso contrário, deixe assar mais um pouquinho. Quando pronto, coloque o pão sobre uma grade e deixe esfriar.
Anúncios

Para levar

tabule-web

De vez em quando eu quero ler um livro fácil. Um desses que você não precisa pensar muito, mas que são ótimos para passar o tempo, especialmente nesse friozinho do inverno. Logo, nessa vibe mais relax, o livro de hoje é Anexos, da Rainbow Rowell. Esse livro é light e divertido, perfeito para ler com uma cobertinha e um cházinho (que é exatamente o meu mood atual -é frrrrrio aqui no Sul, gente!).

Em Anexos, Rowell conta a história de Lincoln e Beth, que não se conhecem pessoalmente. Os dois trabalham no mesmo jornal em uma cidadezinha do Nebraska, EUA em 1999. Ela faz crítica de filmes para o jornal, ele faz segurança de sistemas e monitora o uso de e-mails com conteúdo inapropriado dentro da empresa. Os e-mails engraçados de Beth e sua amiga Jennifer vivem caindo no filtro que Lincoln monitora, e ao ler as conversas divertidas das duas, ele acaba se interessando por Beth. Mas Beth tem um namorado (um namorado meio estranho, mas gato) e não sabe que tem alguém lendo os e-mails dela. Além de tudo isso, Lincoln ainda tem uns assuntos mal resolvidos com a sua ex, Sam, que quebrou totalmente o coraçãozinho dele uns anos antes (tadinho!).

No livro conhecemos também a mãe de Lincoln, pra lá de superprotetora e uma cozinheira de mão cheia, ela capricha nas marmitas que faz para o filho levar para o trabalho. E é através dessas marmitas que Lincoln fica amigo de Dóris, uma senhora que trabalha no jornal e que, mais pra frente, tem um papel importante no livro.

Logo, a receita de hoje não podia deixar de ser… marmita! A receita abaixo é uma das minhas preferidas para levar pro trabalho, porque ela é boa de fazer pro dia seguinte e ainda é cheia de energia e vitaminas para a gente aturar o resto da jornada: tabule de quinoa. Fica uma delícia acompanhada de um quibe assado. Qual é a sua marmita preferida?

 Tabule de Quinoa para levar (serve até 4 pessoas)

Ingredientes:

  • 1 xícara (chá) de quinoa vermelha
  • 1 xícara (chá) de salsinha picada
  • 1 ramo de hortelã
  • tomate cereja (entre 1/2 e 1 caixa, depende do gosto)
  • 1 cebola média
  • Suco de 2 limões
  • 1/3 xícara (chá) de azeite
  • Sal marinho à gosto
  • Pimenta do reino à gosto

Preparo:

  1. Cozinhe a quinoa na água e sal por 18 minutos em fogo baixo.
  2. Corte a hortelã e a cebola em pequenos pedaços.
  3. Refogue a cebola no azeite e sal rapidamente.
  4. Lave e corte os tomatinhos cereja em dois.
  5. Numa tigela misturar o restante dos ingredientes.
  6. Adicione a quinoa. Misture bem e sirva.

 

Costelinha romântica

romance-web

Têm uns livros que fazem a gente ficar com o coração apertado, chorar com o protagonista, torcer por ele, mesmo sabendo que nada aquilo aconteceu. Livro bom é assim, quando você percebe já está dentro desse universo paralelo literário, as duas da manhã de uma quarta-feira. Foi assim comigo quando eu li “A garota que você deixou para trás” da Jojo Moyes.

Primeiro, devo confessar que é um livro bem feminino. Diferentemente do Blink, da semana passada, não consigo imaginar nenhum dos meus amigos homens com esse livro na mão. Mas isso não significa que é um romance açúcarado, é um romance sim, mas bem leve na sacarose.

A história do livro se divide em duas partes. A primeira parte tem como protagonista Sophie, que tem um hotel com sua família no interior da França durante a ocupação alemã e vive aguardando notícias do seu marido, que antes de ir para o front era pintor. A segunda parte, que se passa nos dias atuais, é a história de Liv, uma jovem viúva londrina que ainda não superou a perda do marido. As duas personagens tem uma pintura como ponto de encontro. Não quero falar mais para não estragar. (Se alguém quiser fofocar sobre o livro pode deixar um comentário que eu vou adorar!)

No começo do livro, a família de Sophie está escondendo um porquinho dos alemães, o que era terminantemente proibido. Eles pretendem deixar ele crescer, e fazer um pequeno banquete para eles e seus vizinhos. Mas eles são denunciados! Os alemães aparecem lá e…. SUSPENSE. Rá. Agora você vai ter que ler. (risadinhas malignas aqui)

Mas o tal do porquinho me deixou pensando em costelinhas e eu estava no mood romântico do livro, sabe? Então, como meu respectivo AMA costelinhas (tanto que quando a gente vai na casa dos meus pais, a Cidoca pergunta se ele vai, porque se for, ela faz costelinhas pra ele). É uma preferência escancarada mesmo (ele com as costelinhas, a Cidoca com o maridão), ninguém disfarça mais. Resolvi aproveitar a vibe romântica, pedi as instruções para a chefia e ela me deu o bizú das costelinhas da felicidade. Viu, para não dizer que eu não agrado gregos e troianos, se o livro é para as mulheres, a comida é pros homens! Só um aviso, o preparo é moleza, mas fica um tempão no forno.

Costelinha romântica com batata rústica (serve duas pessoas -romance, gente!)

Ingredientes:

  • Costelinha de porco
  • 1 pote de geléia de damasco ou laranja
  • 2 cabeças de alho
  • 3 batatas inglesas grandes ou 6 pequenas
  • Alecrim seco
  • Sal grosso
  • Azeite e pimenta do reino a gosto
  • Papel alumínio

Preparo:

  1. Pré-aqueça o forno a 220 graus.
  2. Encha uma panela grande de água e coloque as batatas. Deixe as batatas na água fervente por 20 minutos.
  3. Enquanto as batatas fervem, coloque a costelinha em uma travessa refratária e tempere com sal, azeite e pimenta da reino. Depois espalhe a geléia bem por cima de toda a costelinha.
  4. Coloque a costelinha no forno e deixe assar em temperatura alta mesmo por 20 minutos.
  5. Escorra as batatas. Corte cada uma ao meio, e depois corte ao meio longitunalmente de novo. Se for da grande, corte cada fatia ao meio mais uma vez.
  6. Quando acabarem os vinte minutos da costelinha, retire ela do forno e tampe-a com papel alumínio. Na mesma travessa, ou em outra, coloque as batatas e regue com azeite. Jogue um pouco de sal grosso (não muito, senão fica salgado demais), pimenta do reino e o alecrim seco por cima. Coloque junto as duas cabeças de alho, inteiras mesmo.
  7. Diminua a temperatura do forno para 160 graus e asse por mais 1 hora.

Faz um jantarzinho íntimo do bom!