British o’clock

big_ben

“A Torre” é o livro de estréia do Daniel O’Malley, e é tão divertido e cheio de imaginação que é difícil de acreditar que é o primeiro dele. Eu ouso dizer que O’Malley escreveu um Harry Potter para adultos: um mundo sobrenatural secreto na Inglaterra, com foco em Londres, com uma heroína que, apesar de poderosa, começa sem saber nada de nada.

A narrativa acompanha a heroína Myfanwy Thomas, uma Torre do Checquy, alto membro do serviço secreto sobrenatural da Inglaterra. Só tem um detalhe: quando Myfanwy acorda, ela está cercada de corpos e não se lembra de nada, nem do seu próprio nome. Pelo menos seu antigo eu era pra lá de planejado e deixou para ela alguns bilhetes com instruções, porém o lado ruim é que alguém está tentando matá-la. Daí por diante, descobrimos junto com a personagem o assombroso mundo que O’Malley criou para o Checquy: vampiros, personagens que tem uma mente de colmeia, uma que consegue aparecer em sonhos e muito mais. Dá para ver que o autor se divertiu horrores inventando as esquisitices do livro, e mais ainda com sua personagem que tem bastante do senso de humor caustico britânico.

Além do humor delicioso, o livro fala bastante de como formamos nossa identidade. É muito interessante ver que a própria personagem não se considera a mesma pessoa que ela era antes de perder a memória. O tempo todo ela se refere a seu eu anterior na terceira pessoa, pois não se identifica como sendo ela. Já o personagem Gestalt, que aparenta ser quatro irmãos mas na verdade é uma personalidade só em quatro corpos, aborda a questão pelo outro lado: você pode parecer outra pessoa, mas se suas experiências permanecem as mesmas então você mantém o que te identifica como único. O que você faria se soubesse que ia perder a memória? Você mudaria alguma coisa? No caso de Myfanwy, o comportamento dela se altera bastante, pois as experiências da infância dela determinavam muito de sua personalidade anterior.Afinal, eu adorei e já quero o próximo.

Gente, quando decidi fazer o post desse livro eu pensei: e agora, qual receita? Queria que fosse um prato britânico, mas estava querendo uma sobremesa, então fui direto na guru de todas as gordices, a Nigella. E com ela achei o par da Torre: chocolate pudding! Gente não sei como traduz Pudding para português, alguém sabe? Não é pudim igual o Google jura que é, não. Anyway, segue aí!

Gordice delícia de chocolate para Myfanwy

Ingredientes:

  • 250 ml de leite integral
  • 125 ml de creme de leite
  • 60 gramas de açúcar refinado
  • 1 colher de sopa de maizena
  • 35 gramas de cacau em pó
  • 2 colheres de sopa de água recém fervida
  • 2 gemas grandes
  • extrato de baunilha 1 colher de chá
  • 60 gramas de chocolate amargo (finamente picado)

Modo de Preparo:

  1. Coloque a chaleira no fogo e aquecer o leite no microondas.
  2. Coloque o açúcar e a maizena em outra panela e peneira no pó de cacau. Adicione as 2 colheres de sopa de água fervente e bata até obter uma pasta.
  3. Bater as gemas, uma de cada vez, seguido por o leite aquecido e creme, em seguida, o extrato de baunilha.
  4. Raspe as laterais da panela e coloque cozinhando em uma temperatura média para baixa, mexendo por cerca de 3-4 minutos, até que a mistura engrosse e a consistência pareça de maionese.
  5. Tire do fogo e misture o chocolate picado finamente, antes de derramar em 4 pequenas taças ou copos, cada um com uma capacidade de cerca de 150ml.
  6. Cobrir as taças ou copos com filme plástico, deixando o filme encostar na superfície do chocolate para não formar pelinha, e refrigerar uma vez que estiverem mais frias.
  7. Certifique-se de que eles não estão completamente gelados quando for servir, para ficar com a consistência certa.
  8. Fica gostoso servido com morangos cortadinhos em cima 😉

A Torre”

Autor: Daniel O’Malley

Editora: LeYa

Traduzido para o português por: Santiago Nazarian

432 páginas

Na veia

brownie-cookies-web

Há pouco tempo vi na televisão um pedaço de uma entrevista da Tati Bernardi, roteirista da Globo e colunista da Folha, na qual ela falava sobre o livro que estava lançando “Depois a louca sou eu”. Não consegui, infelizmente, ver a entrevista toda (a gente tem que trabalhar e tal) mas fiquei muito a fim de ler o livro, pois a autora parece ser engraçadíssima. Não deu outra: comprei, li, ri.

O livro é composto de crônicas sobre diversos assuntos: crises de pânico, ansiedade, amor, medicação, meditação, trabalho. Tudo isso recheado de humor. Algumas crônicas são mais redondinhas do que outras, eu gostei particularmente de “Eu não desmaio, Dr Guido”, “Os números da felicidade” e da que empresta nome ao livro “Depois a louca sou eu”. Na segunda, eu ri alto no avião com a frase inicial “A felicidade só existe naquele minuto trinta e sete em que o Dorflex faz efeito e a nuca deixa de ser o pufe para os pés de um demônio gordo.”, o quê fez o passageiro do meu lado achar que a louca, de fato, era eu. Mas tranquilo, valeu a pena. Obrigada, Tati.

Em vários momentos a autora aborda o uso de medicamentos, o mais frequente é o Rivotril. Então, em uma brincadeira, pensei no que seria o equivalente culinário desses remédios tarja preta punk hard core no último e me lembrei desses cookies de brownie que são açúcar na veia. Eu quase não faço, pois são uma gordice ensandecida, mas são uma de-lí-cia. Melhor que Rivotril.

a-louca-web

Rivotril Brownie Cookies

Ingredientes:

  • ½ xícara de manteiga sem sal (115g)
  • 115g de chocolate sem açúcar picado
  • 1 xícara (190g) de açúcar mascavo
  • 2 colheres de sopa (25g) de açúcar cristal
  • 2 ovos grandes
  • 1 colher de chá de extrato de baunilha
  • ½ colher de chá de maizena
  • ½ colher de chá de sal
  • 45g de de chocolate em pó
  • 1 xícara de farinha
  • 2/3 de xícara (115g) de chocolate amargo picado

Modo de Preparo:

  1. Derreta a manteiga e o chocolate juntos, no microondas mesmo, em intervalos de 30 segundos, mexendo a mistura entre cada intervalo até que o chocolate esteja quase todo derretido. Mexa com a colher então fora do fogo até que fique totalmente derretido.
  2. Adicione os açúcares na mistura de chocolate e mexa, então adicione os ovos (um de cada vez) e depois a baunilha. A seguir, misture a maizena, o sal e o chocolate em pó. Por último adicione a farinha e mexa só até estar homogêneo. Adicione os pedaços de chocolate e mexa delicadamente.
  3. Coloque a massa na geladeira por 30 minutos (pode deixar mais se quiser, mas fica mais dificil de distribuir a massa –se quiser esquente rapidamente no microondas 15 segundos para ajudar).
  4. Pré-aqueça o forno a 180 graus.
  5. Com um pegador de sorvete ou duas colheres, distribua em uma assadeira untada (ou coberta com papel próprio para assar) com espaço entre cada um para que eles possam crescer um pouco. Asse entre 10 e 12 minutos (podem parecer crus ainda, mas o objetivo é um centro cremoso como um brownie, então NÃO deixe mais tempo). Deixe esfriar um pouco antes de comer (se você conseguir!).

Amor é chocolate, cafuné e Carpinejar

amorajato-web

Sabe aqueles dias que você está precisando de um presente? Você acordou mais para lá do que para cá e quer um carinho? Faz um cházinho ou descola um cafuné ou arruma um chocolate e abre em qualquer página “Para onde vai o amor?” do Fabrício Carpinejar (ou tudo isso junto!) que eu te garanto que você vai se sentir melhor.

Esse livro de crônicas do Carpinejar é uma delícia, um livro sensível, daqueles que deixam um calorzinho no peito e um sorriso no rosto. O livro esmiúça o ato de amar, suas rotinas e peculiaridades. Todo mundo sabe o quê é o amor (menos o Voldemort) mas poucas pessoas conseguem colocar no papel a sensação de estar amando. E Carpinejar é fera nisso.

Logo, na hora de pensar no que combina com todo o romantismo do livro, a resposta já veio rápida: chocolate! Mas o quê de chocolate? Eu queria que fosse rápido e deixasse essa mesma sensação de calorzinho interno, de carinho, então me lembrei dessa receitinha que além de tudo isso ainda é a jato. Sempre sirvo em uma xícara ou uma canequinha que é para dar um charme e faz o maior sucesso.

P1070525_EDIT

Bolo Carinhoso a jato (serve 4 pessoas)

Ingredientes:

  • 1 ovo
  • 3 colheres de sopa de manteiga
  • 4 colheres de sopa de açúcar
  • 4 colheres de sopa de leite
  • 3 colheres de sopa de cacau em pó
  • 3 colheres de sopa de farinha de trigo
  • 1/2 colher de chá de fermento em pó

Modo de Preparo:

  1. Em uma tigela média, que vá ao micro-ondas, coloque a manteiga. Leve para derreter por 30 segundos, até que a manteiga fique líquida. Meça novamente as 3 colheres (com a manteiga já derretida).
  2. Volte a manteiga à tigela e junte o leite e o ovo. Misture bem, com um batedor de arame ou com um garfo.
  3. Junte o açúcar, o cacau, a farinha e o fermento. Misture vigorosamente, até que a massa fique homogênea.
  4. Divida a massa entre os 4 recipientes que for usar, com cuidado para não ultrapassar 2/3 da capacidade do recipiente. Leve todas ao micro-ondas, na potência máxima, por 3 minutos. Para facilitar na hora de tirar, coloque sobre um prato.
  5. Tome cuidado na hora de tirar os copinhos, eles ficam bem quentes. Espere esfriar um pouco 😉

OBS: Observe bem a potência do seu microondas e ajuste o tempo de acordo!

No escuro

dark-places-web

Gillian Flynn é mais conhecida por seu livro “Garota Exemplar”, que foi transformado em um filme dirigido por David Fincher e estrelando o Ben Affleck, mas hoje quero falar de outro livro dela, o “Lugares Escuros” (que também irá virar filme, dessa vez com a Charlize Theron).

Em “Lugares Escuros”, acompanhamos a vida de Libby Day, uma mulher traumatizada pela perda de sua família em um massacre na sua casa quando ela tinha apenas sete anos. O testemunho da então pequena Libby foi essencial para mandar seu irmão mais velho, Ben, para a cadeia com uma sentença de vida atrás das grades. Logo no começo do livro, Libby é procurado por um grupo chamado “Kill Club”, que tem como hobby investigar casos famosos não resolvidos. O mais recente caso do grupo é o massacre da família Day e eles estão convencidos de que Ben é inocente.

Devido à forma como o romance é escrito, os vários pontos de vista em cada capítulo são usados ​​para avançar a investigação de Libby na busca da verdade e, finalmente, descobrir quem matou sua família e por quê. O enredo é revelado em camadas e o leitor não sabe ao certo como tudo vai se juntar no final. Esse livro não é rápido, se desenvolve lentamente, porém o desfecho é surpreedente (para mim, mais até do que o de “Garota Exemplar”). Na maior parte do livro, Libby tenta achar soluções mas é constantemente atrapalhada por outros, inclusive seu pai, o perdedor Runner,e até mesmo seu próprio irmão, Ben, que deveria ser o maior interessado na descoberta que ocasionaria sua liberdade.

Libby é uma personagem cheia de lugares escuros. Logo de cara fica evidente que o trauma pelo qual passou a deixou incapaz de levar uma vida normal. A protagonista, não é adorável, mas cresce no leitor ao sermos atraídos para o seu mundo. Acabamos sentindo sua solidão e seu medo do que existe no mundo real: dá vontade de cuidar de Libby, como se ela ainda fosse a menininha de sete anos que ficou sem família. Torcemos para ela, mas ao mesmo tempo nos perguntamos se realmente queremos saber as respostas. O que aconteceu nos momentos mais escuros da vida de Libby? Ben é culpado ou não?

Então pensando no livro, a receita de hoje é cheia de escuridão e segredos: Torta Fudge. Essa torta é densa e concentrada no chocolate. Essa torta é uma tentação de tão gostosa. Na última vez que eu fiz (que foi também a primeira), acabou rapidinho, ainda bem. Então se você quiser que dure, esconda em um lugar escuro que só você saiba.

Torta Fudge da Escuridão (serve de 8 a 10 pessoas)

Ingredientes:

  • 200 g de chocolate amargo
  • 200 g de manteiga
  • 1 xícara de açúcar de confeiteiro
  • 5 ovos
  • 1/3 xícaras de amido de milho

Modo de Preparo:

  1. Preaqueça o forno a 180 ºC.
  2. Unte com manteiga uma assadeira redonda de 24 cm de diâmetro com fundo removível. Corte um quadrado de papel manteiga grande o suficiente para cobrir o fundo e sobrar. Feche o aro e dobre a sobra de papel para baixo, para que a massa líquida não escorra pelo encaixe. Corte também uma tira de 80 cm x 12 cm e forre a parede da fôrma. Espalhe uma camada fina de manteiga sobre o papel.
  3. Numa tábua, pique o chocolate e corte a manteiga em cubos. Transfira para uma tigela refratária grande.
  4. Derreta a manteiga com o chocolate em banho-maria no microondas. O tempo varia de acordo com a potência, então fique de olho e só deixe até o chocolate derreter e antes dele começar a cozinhar.
  5. Acrescente o açúcar ao chocolate, e misture com carinho com uma espátula.
  6. Quebre um ovo de cada vez numa tigelinha e transfira para outro recipiente – se um deles estiver estragado você não perde toda a receita. Com um garfo misture as gemas com as claras, sem bater.
  7. Em seguida, junte os ovos à massa de chocolate. Misture delicadamente com a espátula, com cuidado para não formar bolhas: esse é o segredo para o bolo ficar denso e bem cremoso.
  8. Por último, peneire o amido sobre a massa e misture até ela ficar lisa.
  9. Transfira para a fôrma preparada e leve ao forno preaquecido. Deixe assar por 20 minutos – o interior deve ficar úmido e sai do forno com cara de que ainda não está todo assado.
  10. Deixe esfriar por 20 minutos, cubra com filme e leve à geladeira por 1 hora para firmar antes de servir.

Impossível comer um só

cookies-web

Esse ano estou lendo mais contos. Normalmente, eu sou uma garota de romances longos, quanto mais volumes melhor, mas nos últimos tempos me rendi ao charme dessas histórias mais breves, porém ainda cheias de insight. E o livro de hoje é um desses, “Um tal Lucas” de Júlio Cortázar é simplesmente uma delícia atrás da outra. É impossível ler só um, depois que você começa. Igual comer os cookies de chocolate que são a receita dessa semana. Os dois são absolutamente irresistíveis e você é obrigado a devorá-los, um atrás do outro.

Eu admito que, blasfêmia das blasfêmias, eu nunca tinha lido Cortázar (não me matem, como eu disse, estou lendo!). E no curso que estou fazendo, minha professora leu um trecho dele e me apaixonei pelo texto dele: divertido, charmoso e peculiar, mas profundo apesar de falar de assuntos ordinários. As vezes as idéias são tão originais que eu me pego rindo (como no primeiro conto do livro, Lucas e a Hidra), as vezes a simplicidade do texto é o que faz a história. A linguagem pode confundir em alguns momentos, então leia saboreando, para pegar todas as nuances. Tem cada conto tão bom, mas tão bom, que eu fiquei até meio em choque (hahahaha)! Enfim, leiam.

E como eu já disse, os cookies de chocolate que são a receita de hoje são os irmãos siameses dos contos do Cortázar. Essa receita é antiga (da minha adolescência, peguei com a irmã de uma amiga) e moleza de fazer. Felicidade instantânea! Só tem um problema sério: você vai MESMO comer um atrás do outro e não é, digamos assim, light. Então, antes de começar a comer, separe os que você vai comer mesmo e guarde o resto. Senão já era. Estão todos avisados.

Cookies de chocolate para o Sr. Cortázar

Ingredientes:

  • 2 xícaras e meia de farinha de trigo
  • 1 xícara de açúcar mascavo
  • Meia xícara de açúcar branco
  • 1 xícara de manteiga (equivale a uma barra) com sal derretida (pode ser no microondas mesmo)
  • 2 ovos inteiros
  • 400g de chocolate (ao leite ou amargo, o que você preferir) em barra cortado grosseiramente
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 1 colher de chá de essência de baunilha
  • 1 pitada de sal

Preparo:

  1. Pré-aqueça o forno a 180 graus.
  2. Despeje a farinha e os açúcares na tigela da batedeira. Adicione a manteiga derretida e bata um pouco até misturar.
  3. Adicione um ovo de cada vez, batendo a massa até cada um se incorporar. Adicione o sal, a essência de baunilha e o fermento em pó e bata até homogêneo.
  4. Coloque o chocolate e bata um pouco para que ele se espalhe por todas a massa.
  5. Unte duas assadeiras grandes e, com uma colher de sobremesa, faça bolinhas e distribua deixando um espaço generoso entre as bolinhas.
  6. Coloque para assar no forno pré-aquecido por 15 minutos, ou até os cookies ficarem com a bordinha dourada. Truque: se uma assadeira for ficar em cima da outra dentro do forno, na metade do tempo troque as duas de lugar para assarem por igual.
  7. Tenta não comer tudo de uma vez!

Killer Brownies

killer-brownies-web

Você gosta de thrillers policiais? Eu adoro. A-DO-RO. Tem coisa melhor pra uma tarde de chuva que uma pancadaria e um suspense eletrizante? Eu acho que não (culpa de todos os filmes do Van Damme que eu vi com meu pai quando era criança, tenho certeza). Se você também joga nesse time, vou te dar uma dica: Jack Reacher.

Jack Reacher é o herói de um dos papas dos thrillers de ação, Lee Child. Ele é um ex-policial militar (a polícia do exército) que virou um andarilho, sem lenço nem documento. Ele é louro, gigante, forte, inteligente e pegador farpado (o oposto do Tom Cruise, que interpretou o personagem no cinema). É o que as mulheres sonham, e os homens sonham ser. Só um pouquinho inapto socialmente, mas passa, vai. E a alimentação dele consiste basicamente de… café.

Café é a única constante na vida de Reacher. O nosso eficiente matador não liga pra muita coisa: quarto, roupa, carro, tudo é indiferente se tiver uma escova de dente e um café responsa. Em cada livro, ele toma litros e mais litros de café. Se você quiser começar por algum lugar, pode começar por “O último tiro”, que virou filme ou ir na ordem e ler primeiro “Killing Floor”. Eu, particularmente, tô lendo na ordem.

Inspirada por Reacher, pensei logo em unir seu vício com uma sobremesa que é de cair matando (com trocadilho, por favor): brownies. Uma combinação letal. Rsrs

 

Killer Brownies  (serve de 6 a 8 pessoas, mas se deixar aqui em casa eu como tudo sozinha)

Ingredientes:

  • 200g de manteiga
  • 300g de chocolate meio amargo (duas barras)
  • 1 xícara de açúcar (pode ser cristal ou mascavo)
  • 2 xícaras de farinha de trigo
  • 3 ovos
  • 2 colheres de chá fermento
  • 3 colheres de chá de café (se você gostar de um gosto mais intenso de café pode aumentar essa quantidade um pouco)
  • 1 colher de chá de essência de baunilha

Como fazer:

– Pré-aqueça o forno à 210 graus.

– Em um assadeira refratária, coloque metade do chocolate picado mais ou menos (não precisa se esforçar muito, não) e coloque para derreter no microondas por um minuto. Adicione a manteiga ao chocolate e coloque de volta no microondas para derreter mais um minuto. Misture bem, até ficar uniforme.

– Adicione agora metade da farinha e misture até ficar uniforme. Coloque o resto da farinha e repita. Faz a mesma coisa com o açúcar, o fermento, a baunilha e o café.

– Adicione os ovos. Um de cada vez e misture bem para a massa ficar com aquela cara brilhante.

– Por último, pique o resto do chocolate até ficar com uns pedaços de 1 x 1cm e adicione à massa. (É essa metade que faz com que ele fique cremoso dentro 😉 )

– Asse durante 30 minutos.

Agora é só servir. Sugestão: servir com sorvete de Praliné da Häagen-Dazs. Hummmm, killer!