À espanhola

fritada-web

Há tempos que “A sombra do vento”, do Carlos Ruiz Zafón, estava na minha pilha de livros. Mas eu sempre passava outro na frente, por um motivo ou outro. Até que um dia, trocamos olhares e lá fui eu para dentro da toca do coelho.

“A sombra do vento” conta a história de Daniel Sempere, que começa quando ele ainda é menino, e de Julian Carax, dois homens ligados por um livro que se chama também “A sombra do vento”. A narrativa começa quando Daniel tem onze anos. Um dia, ele que perdeu a mãe, acorda de noite sem conseguir lembrar-se do rosto dela. Então, seu pai, um livreiro respeitado de Barcelona, o leva até um local secreto chamado “O Cemitério dos Livros Esquecidos”, um labirinto de livros que esperam o leitor certo. Isaac Monfort, o responsável pelo cemitério, e seu pai dizem para ele escolher um livro e Daniel escolhe justamente “A sombra do vento” de Julian Carax.

O menino devora o livro e fica obcecado com seu autor, quer achar outros livros dele, saber mais sobre a vida de Julian. Porém, os livros de Carax estão desaparecidos e há pouco rastro sobre o mesmo. Mas um dia, um homem estranho e assustador o aborda querendo comprar dele o livro, ele diz se chamar Laín Coubert, o nome do diabo no livro de Carax. Daniel se recusa a vender seu bem mais precioso, mas sente um grande medo do homem.

Passam-se vários anos, Daniel, já com dezoito anos, trabalha na livraria do pai. Um dia ele recruta para ajudar na livraria um mendigo que ele sempre vê nas suas andanças pela vizinhança, Fermín Romero de Torres. Fermín, na minha opinião o melhor personagem do livro, torna-se muito amigo de Daniel e os dois juntos tentam resolver o mistério de Carax. Assim, Daniel segue uma trilha tortuosa até encontrar a história do seu ídolo, Carax. Uma história que acaba repercutindo no presente e inclusive nos amores de Daniel.

O melhor de “A sombra do vento” é a escrita divertida de Záfon, que é especialmente ótima no personagem de Fermín. Sem contar o maravilhoso tour de Barcelona que fazemos ao acompanharmos as andanças de Daniel. Vou confessar que o começo do livro é lento, demora a prender o leitor. Mas a insistência é recompensada depois com sobra. Quando estava lendo, ficava pensando nas tapas espanholas, aqueles milhões de pratinhos deliciosos. Mas depois achei que “A sombra do vento” é muito substancial para somente uma tapa, e pensei em uma paella. Mas isso também não me pareceu acertado, muito cheio de coisas demais. Então me lembrei das fritadas, essa delícia de omelete de batata, que é substancial mas não é pesada. Então, segue aí, uma fritada para o senhor Sempere!

Fritada para Sempere e Carax (serve duas pessoas)

Ingredientes:

  • 4 ovos
  • 1/4 de xícara de leite ou creme de leite
  • 2 a 3 batatas pequenas
  • 2 a 3 cebolas pequenas
  • 2 punhados grandes de tomates cereja cortados ao meio
  • 75g de queijo minas padrão ou queijo de cabra
  • endro ou erva-doce a gosto
  • azeite, sal e pimenta do reino

Preparo:

  1. Descasque e corte as batatas em círculos de mais ou menos 0,5cm de espessura, de preferência um pouco menos.
  2. Descasque e corte as cebolas em rodelas finas.
  3. Coloque no fogo uma frigideira de fundo grosso, e espere esquentar um pouco. Regue o fundo generosamente com azeite e então disponha as batatas pelo fundo, uma ao lado da outra, até cobrirem o fundo da frigideira inteiro. Deixe o fogo aceso em temperatura média.
  4. Bata os ovos com o leite e tempere com sal e pimenta até a mistura ficar homogênea.
  5. Despeje a mistura de ovos sobre as batatas. Espere um minuto e então adicione as cebolas e os tomates. Por último adicione o endro.
  6. Deixe cozinhar meio tampada em fogo baixo por quinze minutos.
  7. Agora é só servir!
Anúncios

Feliz Natal!

natal-web

Final de ano é sempre uma loucura, mas do tipo bom: festas, encontros, amigos ocultos. E Natal. Eu adoro o Natal! É o momento de refletir sobre o ano que passou, como podemos trazer o Evangelho mais para as nossas vidas e como podemos ser pessoas melhores. E ainda por cima tem família, amigos, presentes e comida! Essa energia do Natal é contagiante.

O post do hoje é diferente: como todas as criancinhas, eu fiz uma listinha pro Papai Noel (porque esse negócio de presente só para crianças eu não aceito! Papai Noel existe e pronto). Como vocês podem imaginar, é uma listinha cheia de…. livros! Mas também quero compartilhar com vocês minha listinha de receitas para testar em 2016, um monte de coisas gostosas que vão fazer do ano que vem um ano mais saboroso. Quem quiser compartilhar comigo os seus pedidos para o Papai Noel, fique à vontade!

Listinha do Papai Noel da Carol (são doze, um para cada mês do ano… rsrs)

  1.  “O amante japonês” da Isabel Allende
  2. “Desaparecidas” da Lauren Oliver
  3. “O rouxinol” da Hannah Kristin
  4. “Glass Sword” da Victoria Aveyard
  5. “Toda luz que não podemos ver” do Anthony Doerr
  6. “O assassino cego” da Margaret Atwood
  7. “Para onde vai o amor?” do Fabrício Carpinejar
  8. Histórias de cronópios e de famas” do Julio Cortázar
  9. “A garota na teia de aranha” do David Lagencrantz
  10. “Fates and furies” da Lauren Groff
  11. “A brief history of seven killings” do Marlon James
  12. “You’re never weird on the internet (almost)” da Felicia Day

Nessa listinha, tem para todos os gostos! Eu sou bastante eclética e quero sempre ler coisas diferentes, então se você ainda não comprou presente para alguém, fica a dica: livros são sempre a boa :))

Listinha de receitas da Sra Noel (para começar 2016 cheia de idéias novas)

  1. Panzanella do Panelinha
  2. O Gnudi do Jamie Oliver
  3. A Tarte Tartin da Rainha da Cocada
  4. O Cordeiro à indiana do Claude Troigros
  5. A Quiche Lorraine do Chef e a Chata
  6. A Sopa Grega do DALS
  7. Os Cookies de Brownie da Smitten Kitchen
  8. O Guacamole da Zazá Piereck
  9. O Salmão em crosta de amêndoas da Sal de Bolinhas
  10. Os Bolinhos de arroz da Technicolor Kitchen
  11. As Pink Lemonade Bars da Cozinha dal Bó
  12. O Bolo de banana e aveia da Gordelícias

Não garanto que vou fazer, comer, ler tudo mas não custa sonhar, né?

Um beijo e um feliz Natal para todos!

 

Risoto para Lou Clark

protagonista-web

Eu já falei aqui há um tempo atrás de um livro da Jojo Moyes, “A garota que você deixou para trás”, mas hoje vou falar de dois livros dela, o conhecido “Como eu era antes de você” e sua sequência “Eu depois de você”. Eu adoro a Jojo Moyes, e acho que ao criar a personagem Louisa, a heroína desses dois livros, ela acertou em cheio.

Em “Como eu era antes de você”, Lou mora em uma pequena cidade da Inglaterra, onde a grande atração é um castelo que contém um labirinto. Essa propriedade é de uma família rica, os Traynor. Louisa, ou Lou como é chamada por sua família e amigos, fica desempregada no início do livro e acaba indo trabalhar para os Traynor em uma função inusitada para ela que era garçonete: cuidadora do filho tetraplégico do casal, Will. Mas Will não gosta muito de ter alguém “cuidando” dele e o relacionamento entre ele e Lou começa de forma bem difícil. Mas depois, conforme os dois se conhecem melhor, as coisas mudam bastante de figura.

Esse livro fala de assuntos complexos: morte, perda, suicídio, entre outras. Eu confesso que chorei horrores no final, mas eu sou manteigona, então isso não é tão anormal assim. Mas o grande trunfo da autora para mim é a própria Louisa. Lou não é uma beldade, não é genial, não é enfim tão diferente de um monte de mulheres que existem por aí. O que é importante em Lou é o seu coração enorme, e, mais tarde, a coragem de ser e amar plenamente. “Como eu era antes de você” é uma história de um primeiro amor devastador, mas também é a história de como alguém pode ajudar uma pessoa a ser mais do que ela sonhava. É por isso que é tão bonito e tão triste.

Já em “Depois de você” (que ainda não saiu aqui no Brasil, mas já tem o e-book em inglês na Amazon para quem é fominha igual a mim), Jojo retoma a trajetória de Louisa e seu caminho até encontrar o amor de novo, e reencontrar ela mesma. Agora que Lou tem que superar Will, ela está na fossa completa e sem saber para onde ir. Até topar sem querer com Sam, um paramédico de Londres, que também passou por momentos difíceis no passado. Além disso, uma pessoa inesperada aparece para bagunçar sua vida.

No final da choradeira desses dois livros, uma montanha russa de emoção, fica a lição da Jojo Moyes: não deixe a vida passar com você simplesmente acompanhando, não dá para viver sem assumir riscos. E como diz a ilustração desse post: seja a protagonista da sua história.

A receita de hoje é um prato para protagonizar noites de gala: risoto de pêra com gorgonzola. Meu marido é fera no risoto e esta receita foi testada e aprimorada com amor especial. Aproveitem!

Risoto de Pêra com Gorgonzola (para 4 pessoas famintas)

Ingredientes:

  • 2 xícaras de chá de arroz arbóreo
  • 250g de queijo gorgonzola picado
  • 3 pêras
  • 1 1/2 xícara de caldo de galinha (2 cubos)
  • 2 xícaras de vinho branco seco
  • 1 cebola picada em cubinhos (ou 1 1/2 se estiverem pequenas)
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • suco de 1/2 limão
  • pimenta do reino moída a gosto
  • queijo parmesão ralado a gosto

Preparo:

  1. Leve uma panela com o caldo de galinha ao fogo alto. Quando ferver, abaixe o fogo para o mínimo possível.
  2. Descasque as pêras e corte-as em cubinhos de um centímetro. Regue com o suco de limão para não escurecer.
  3. Em uma panela grande, coloque o azeite e leve ao fogo baixo. Quando estiver quente, adicione a cebola e mexa até ficar transparente. Aumente o fogo e adicione o arroz arbóreo.
  4. Na panela do arroz, adicione o vinho. Misture até evaporar.
  5. Após o vinho secar, coloque uma concha do caldo de galinha e mexa até secar. Repita a operação durante quinze minutos.
  6. Acrescente o gorgonzola e as pêras. Misture bem.
  7. Desligue o fogo, acrescente a manteiga sem misturar e tampe a panela durante alguns minutos.
  8. Tempere com a pimenta do reino e mexa bem.
  9. Sirva com o parmesão ralado por cima. E uma saladinha de rúcula para acompanhar!

Obs: Esta receita também fica uma delícia com queijo Brie!

 

 

Que venha o sol

image

Em “Eu te darei o sol” Jandy Nelson conta a história de um casal de irmãos gêmeos, Noah e Jude. Os irmãos são próximos mas pessoas muito diferentes: Noah é artistíco e tímido, além de ser homossexual. Jude é esportiva, falante e tem cabelos lindos.

Noah e Jude brincam entre si de dividir o universo, em troca de tal coisa, você me dá as flores, ou em troca daquilo outro, você me dá os peixes. Uma espécie de jogo infinito entre os dois, de onde vem o nome do livro. O livro alterna a narrativa entre os irmãos, um capítulo é Noah e o próximo de Jude, sendo que os capítulos de Noah narram acontecimentos de quando os gêmeos tinham treze anos e os de Jude acontecem quando eles têm dezesseis. Logo fica claro que algo aconteceu nesse espaço de três anos que afastou e transformou completamente os dois, e que somente reparando o relacionamento eles vão saber a história completa deles mesmos.

Esse livro é voltado para um público mais jovem, e a linguagem dele deixa isso claro. Mas eu recomendo mesmo para quem não é jovem, pois é fala de auto-conhecimento e de nos aceitarmos como somos (mesmo que quem somos seja um pouco esquisito).

No livro, Jude tem uma espécie de Bíblia feita pela sua avó com toda espécie de conselhos e simpatias: “para evitar doenças, ande com uma cebola no bolso” ou “para afastar atenção de um homem, chupe vários limões”. Inspirada nessas pérolas divertidas, resolvi que a receita perfeita para o “Eu te darei o sol” são deliciosos bolinhos de limão, uma delícia para comer no verão, misturando o sabor do limão com o doce do açúcar.

image

Muffins de Limão para quem quer sol (rende 12 unidades)

Ingredientes:

  • 2 1/2 xícaras de farinha
  • 1 3/4 colheres de chá de fermento
  • 1/2 colher de chá de farinha de chia
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 xícara de açúcar
  • 2 ovos grandes
  • Raspas de um limão
  • Suco de um limão
  • 1/4 de xícara de leite
  • 100g de manteiga derretida e resfriada
  • 1/4 de colher de chá de extrato de baunilha

Preparo: 

  1. Pré-aqueça o forno a 300º graus.
  2. Unte forminhas para 12 muffins com manteiga ou spray.
  3. Em uma tigela média, misture a farinha, o fermento, a farinha de chia e o sal.
  4. Em outra tigela, misture o açúcar, os ovos, as raspas e o suco de limão e o leite. Por último, adicione a manteiga e misture.
  5. Junte a mistura molhada com a seca e mexa até a massa ficar homogênea.
  6. Divida a massa igualmente entre as forminhas.
  7. Asse por 20 minutos ou até os muffins ficarem douradinhos em cima.
  8. Deixe esfriar durante 5 minutos antes de desenformar.
  9. Se quiser, polvilhe com açúcar na hora de servir, que fica bonito! 😉