Em cores

rodadecor-web

Há um tempo atrás eu postei aqui sobre 1Q84, o primeiro livro que li do Haruki Murakami. Eu adorei o 1Q84 e então, quando em uma das minhas últimas incursões no paraíso nerd (Saraiva Mega Store), dei de cara com uma edição linda de “O incolor Tsukuru Tazaki e seus anos de peregrinação” não resisti e comprei logo.

Spoiler Alert: Tsukuru NÃO fica anos peregrinando. Pelo menos não no sentido literal, o que foi, devo confessar uma surpresa para mim. Normalmente eu leio a sinopse do livro antes de comprar, mas esse eu comprei pelo autor e pela belezura do design, confesso.

No livro, Tsukuru Tazaki é um homem de meia idade que ao tentar um relacionamento sério com uma mulher, percebe (depois da companheira falar com todas as letras, claro! rsrs) que ele tem problemas em formar relacionamentos por causa de um evento que aconteceu na sua juventude, e que, para ele poder estar com a namorada de forma completa, precisa resolver essa pendenga. O que aconteceu com ele foi triste mesmo: um dia, seu grupo próximo de amigos corta relações com ele. Assim, sem mais nem menos, beijo, tchau, não me liga. Ele não sabe a razão e como qualquer pessoa, fica pra lá de deprimido durante um bom tempo, e mais importante, passa a ser uma pessoa que tem dificuldade em criar vínculos afetivos. O livro trata então da jornada interna (e externa também) de Tsukuru para tentar resolver suas questões e, porque Murakami é o autor, o faz de forma poética mas com uma mão as vezes carregada demais no contexto sexual.

O grupo de amigos que Tsukuru participava era formado por cinco pessoas: Ao, Aka, Shiro, Kuro e Tsukuru. Todos os participantes tinham cores nos seus nomes, respectivamente Azul, Vermelho, Branco e Preto, menos Tsukuru, que por isso se considerava incolor e desinteressante. O livro de certa maneira conta a busca eterna que nós fazemos em busca do auto-conhecimento, de uma identidade pessoal. Eu acho que vale a pena ler só por causa disso, porque todo mundo as vezes se acha chato ou sem graça, mas é bacana ver que os outros não enxergam você dessa maneira. Esse livro é um livro delicado, leia com cuidado para não perder os detalhes.

Em homenagem a Tsukuru e seus amigos, vou compartilhar com vocês hoje uma receita da senhora minha mãe que é um hit da família, porque ela é gostosa, leve e colorida: Salada Tropical. Essa salada minha mãe inventou quando eu era criança e desde então virou item obrigatório no menu lá de casa, especialmente em dias de festa, porque ela é linda para colocar na mesa e todo mundo pode comer sem sentir culpado. Ela é o que faltava na vida do Tsukuru! rsrs

Salada Tropical Colorida da Sra Minha Mãe

Ingredientes

  • 2 maçãs verdes
  • 2 maçãs vermelhas
  • 1 manga
  • 1/2 melão
  • 1 cacho grande de uva sem semente
  • 1 abacate
  • 1 pé de alface americana lavada

Molho:

  • 1 colher de sopa de mostarda
  • 1 colher de sobremesa de mel
  • 1 xícara de maionese (PS: até eu que não gosto de maionese adoro essa salada! É um milagre!)

Preparo:

  1. Misture a mostarde, o mel e por último a maionese em uma tigela.
  2. Corte as frutas em bolinhas com um boleador pequeno, menos a manda que você corta em quadradinhos de um tamanho similar às bolinhas. Importante seguir a ordem: maçãs, manga, melão, uva e porr último o abacate.
  3. Corte a alface em pedaços pequenos ou médios.
  4. Vá colocando cada fruta na tigela na ordem acima e a cada uma coloque uma porção de molho e misture. No final coloque a alface e o restante do molho e misture uma última vez. Pronto!
Anúncios

Um comentário sobre “Em cores

  1. Pingback: Delicadeza oriental |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s